Almeidas Assessoria Contábil

Blog

Conciliação bancária

Saiba como fazer a conciliação bancária na sua empresa!

A conciliação bancária trata-se de um processo simples, que envolve fazer um levantamento de tudo o que pagou ou recebeu. E comparar com os valores que entraram e saíram da sua conta bancária. Esse processo é essencial para a saúde financeira de qualquer negócio, independentemente do porte.

Vale ressaltar que esse cuidado é fundamental para que consiga honrar com todas as suas despesas e compromissos financeiros. Bem como ter valores que podem ajudar a investir ainda mais no seu negócio. 

Não basta saber como abrir uma empresa, é fundamental pensar em todos os pontos necessários para que o negócio se mantenha aberto e gerando lucros. Pensando nisso, te mostrarei neste artigo como fazer essa conciliação tão crucial para o sucesso e permanência de uma empresa no mercado. Confira a seguir!

Como se faz uma conciliação contábil? 

Conciliação bancária

Antes de entender como se faz esse processo bancário é necessário entender um pouco da conciliação contábil. Esse processo contábil é um termo que muitas empresas utilizam para se referir à conciliação bancária.

No entanto, ainda que tenham o mesmo propósito (comparar lançamentos), podem ser usadas para funções distintas. Assim, a conciliação contábil pode ser aplicada para comparações específicas da contabilidade de uma empresa e não de movimentações diárias. Por exemplo, tributos, impostos, folhas de pagamento etc.

A conciliação contábil é utilizada para a apuração de cada conta contábil de uma empresa. Com isso, é possível:

  • Evitar problemas tributários;
  • Contribuir para o balanço patrimonial;
  • Assegurar que os valores declarados estão corretos.

A maneira mais indicada de se fazer uma conciliação contábil é:

  • Ter um bom controle financeiro, por meio de acompanhamento de relatórios e planilhas;
  • Listar todas as contas bancárias utilizadas pela empresa;
  • Ter um período de análise definido e cumpri-lo, que pode ser por mês, por trimestre, por semestre ou uma vez ao ano;
  • Corrigir divergências apresentadas na conciliação, seja entrando em contato como banco, ou solicitando ajuda do seu escritório de contabilidade;
  • Enviar a análise ao seu contador para que seja utilizada caso necessário, por exemplo, em situações judiciais.

-> Leia também: Gestão Fiscal: tudo o que você precisa saber!

Como fazer uma conciliação bancária?

1 – Registro dos lançamentos diariamente 

Para ter uma conciliação correta é importante que sejam registradas todas as movimentações. Essa etapa é fundamental para ter segurança de que todas as entradas e saídas foram lançadas.

Para possuir mais informações sobre os dados é importante incluir históricos como o nome dos fornecedores ou clientes, além de se ater em datas e valores. Essas referências são de suma importância para a gestão do empreendimento. Pois garantem uma visão ampla de todas as movimentações ocorridas e quem são os envolvidos nela.

2 – Verificação de saldos

Apesar de não ser uma tarefa agradável, a conferência é um passo essencial.Veja se os saldos iniciais e finais do controle interno estão batendo com os saldos do extrato bancário.

3- Análise de detalhes

A conferência não serve apenas para a análise dos saldos. É fundamental verificar se todas as datas correspondem com as anotadas pelo controle interno. Isso minimiza o risco de ser multado por atrasos, por exemplo.

4 – Correção e armazenamento

Por fim, qualquer divergência entre os dados do controle interno e aqueles da conta bancária deve ser corrigida assim que percebida. Não se esqueça de guardar notas fiscais, extratos e comprovantes de pagamento para ter acesso às informações a qualquer hora.

Como uma empresa de contabilidade pode lhe ajudar nesse processo

A presença de um profissional contábil é essencial desde o momento da abertura. Além de ser obrigatório a todas as empresas, exceto para quem é MEI, um contador é quem vai lhe auxiliar em questões como:

  • Escrituração contábil e tributária: Demonstrativo do Resultado do Exercício — DRE; registro de apuração dos impostos; balancete; balanço patrimonial; conciliação bancária;
  • Entrega das obrigações acessórias: Declaração de Informações Socioeconômicas e Fiscais (DEFIS); Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS); Declaração de Débitos Tributários Federais (DCTF) ; Declaração de Imposto Retido na Fonte (DIRF); Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), entre outros.
  • Assuntos trabalhistas: emissão de guias do INSS, FGTS e do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF); processamento da folha de pagamento; preenchimento do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) etc;
  • Emissão de certidão negativa de débitos;
  • Planejamento tributário;
  • Assessoria em gestão financeira.

Nós da Almeidas Assessoria Contábil somos especialistas e podemos te ajudar em todos esses pontos da conciliação bancária. Entre em contato conosco

sobre o autor
Fábio Almeida é graduado em Tecnologia da Informação e Ciências Contábeis com mais de 10 anos de atuação como contador e empreendedor.


Sem Comentários


deixe seu comentário :

* O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.